domingo, 1 de maio de 2016

FOFOCA: ENERGIA NOCIVA E ESTAGNADA


Desde os primórdios da humanidade que os fofoqueiros populares línguas compridas tem atormentado a paz de muitas pessoas. Eles vivem a maior parte do tempo espalhando noticias infundadas, para alimentar um espirito de destruição neles habitado.
Como pode ter gente que cuida da vida alheia e esquece de cuidar da sua?

Tenho repulsa por gente assim, numa rápida pesquisa feita sobre a "fofoca", identifiquei que ela consiste no ato de fazer afirmações não baseadas em fatos concretos, é uma especulação em relação à vida alheia. São os verdadeiros línguas compridas!
"Fofoca é o mais desprezível dos vícios; pois, por não poder influenciar o espírito e o caráter dos sábios, rasteja como uma serpente venenosa e refugia-se na alma dos fracos, tolos e ociosos."
É incrível como tem pessoas que se prestam a falar mal dos outros, fico puto da vida com isso… Com a fofoca, pessoas inescrupulosas põem em cheque a reputação de homens ou mulheres. As fofocas contaminam os bons costumes, azedam as relações interpessoais, destroem a eficácia do individuo.
O pior é quando a pessoa que é a "fofoqueira" tem o telhado de vidro e faz uso da fofoca para tirar o foco dos problemas próprios e assim mirar em outrem, tampando de maneira covarde o problemas da qual ela é portadora.

Busquei ler alguma coisa que me criasse um escudo contra os fofoqueiros. Após muita procura achei um artigo do Gutemberg B. de Macêdo (renomado consultor brasileiro) e coloco aqui para que os seres de bom caráter se protejam da maldita fofoca:
Fale diretamente, e não pelas costas, com as pessoas que você julga despreparadas. Aja com elas de maneira correta e justa.
Não fale sobre seus problemas pessoais com aqueles indivíduos que, de antemão, você sabe, geram dúvida quanto à capacidade de ajudá-lo. É preferível chorar sozinho na privacidade de seu quarto a fazê-lo em público, nos ombros da pessoa errada.
Quando tiver dúvidas em relação a uma pessoa e seus atos, que o afetem direta ou indiretamente, confronte-a corajosamente, mas em particular. Fazê-lo em público significa expor-se e multiplicar as dúvidas existentes.
Embora seja uma tendência natural, muitas pessoas – sabemos – desejam expressar suas opiniões e versões publicamente. Quando se sentir tentado a fazê-lo, reflita e contenha o ímpeto de se expor desnecessariamente. Diz a sabedoria popular: “Em boca fechada, não entra mosquito.” (nem macumba!)
Cuidado para não julgar precipitadamente as pessoas e os fatores que as motivam a agir de modo pouco convencional ou duvidoso. A mesma língua ferina, que critica e envenena as ações de outras pessoas, poderá voltar-se contra si mesmo e deixá-lo em apuros como crítico contumaz e insensato.
Quando se perceber tentado a dar ouvidos a fofoqueiros, mesmo que por brincadeira ou curiosidade, reaja. Sua atitude não poderá jamais encorajar a prática da fofoca entre seus pares e colaboradores. Lembre-se que a maledicência só serve para corromper os bons costumes. Se ligue língua comprida.
O TEXTO VEIO DAQUI:
http://www.luizmotivador.com.br/materia/comportamento/11762/Cuidado+com+gente+fofoqueira!+L%C3%ADngua+grande

***********************************************************************
Ci>> Se as pessoas soubessem  o quão nociva é uma fofoca na vida da vítima, e o que pode destruir em segundos, se elas pudessem provar deste fel, não tentariam nada parecido contra ninguém... Fofocas causam inimizades, tristezas, desconfiança, insegurança, depressão. Afogam amizades, desprezam a lealdade, destroem o amor, o companheirismo e o respeito. Transformam grandes amigos em desconhecidos, amantes em inimigos... Destroem um ambiente de trabalho, uma casa, uma família, uma relação, de dentro para fora.